Hoje, 07 de dezembro de 2019

Diabetes: é possível prevenir? – Saúde Naval

Ainda que não seja possível impedir completamente o aparecimento da diabetes, algumas medidas são possíveis para reduzir a sua incidência. Conheça os diferentes tipos:

Diabetes tipo 1 (DM 1) – ocorre quando o pâncreas, responsável pela produção de insulina, não produz o hormônio ou o produz em quantidade insuficiente devido à destruição de células. Assim, a concentração de glicose no sangue aumenta muito e a pessoa precisa aplicar insulina injetável todos os dias. A causa da diabetes tipo 1 ainda é desconhecida, mas acredita-se que possa ter origem genética ou autoimunológica. Os principais sintomas são: fome e sede excessivas, cansaço, emagrecimento e poliúria (emissão excessiva de urina).

Diabetes tipo 2 (DM 2) – é a mais comum. Cerca de 90% dos pacientes diabéticos possuem a tipo 2. O pâncreas dessas pessoas produz insulina em quantidade insuficiente ou até a produz normalmente, mas o organismo não consegue usá-la de forma adequada. A diabetes tipo 2 pode surgir a partir da combinação de dois fatores: o genético, ou seja, o histórico da doença na família, e o ambiental, que são fatores de risco para o problema, tais como a obesidade e o sedentarismo. Na maioria das vezes, os sintomas não aparecem ou podem levar anos para se manifestar. Se a doença não for tratada, pode evoluir para um quadro grave de desidratação, coma e levar à morte.

Outros tipos de diabetes – são muito mais raros e suas causas incluem defeitos genéticos da ação da insulina, doenças do pâncreas (pancreatite, tumores pancreáticos, hemocromatose), outras doenças endócrinas e uso de alguns medicamentos.

Os principais fatores de risco para o desenvolvimento da diabetes são:

Sobrepeso e obesidade;

Ingestão de açúcar e gordura em excesso;

Sedentarismo;

Histórico familiar e herança genética;

Alcoolismo;

Estresse;

Histórico de doença cardiovascular; e

Diabetes gestacional prévia.

Para quem possui algum ou vários destes fatores de risco mas não tem ainda o diagnóstico da diabetes, a melhor forma de prevenção é adotar um estilo de vida mais saudável e consultar o médico, fazendo exames regularmente.

Este é o caso do Terceiro-Sargento Manoel de Andrade Domingos. Na sua família, sua avó, sua mãe e cinco dos seus tios tiveram complicações severas por conta da diabetes, chegando até a ocasionar morte. Por conta disso, ele e praticamente todos os seus irmãos e primos se preocupam com a possível hereditariedade e, para reduzir as chances do surgimento da doença, passaram a tomar diversas precauções. Exames de rotina, dieta balanceada e prática de exercícios físicos fazem parte dos cuidados que o Sargento Domingos toma.

“Na minha família, a minha avó foi a primeira a ser diagnosticada com diabetes tipo 2. Ela chegou a entrar em coma e falecer em decorrência da doença. Em seguida, meus tios e minha mãe foram, pouco a pouco, sendo diagnosticados também. Todos eles tinham um ou mais fatores de risco, como sobrepeso, alcoolismo, sedentarismo e estresse.

Sempre nos aconselharam (eu, meus irmãos e primos) a adotarmos um estilo de vida mais saudável, fazendo exames periódicos, pois tinham em mente, que a doença poderia ter caráter genético. Como nossa família já passou por perda de visão, problema de coração, risco de amputação de perna e até mortes, a geração mais nova tem medo e tenta se cuidar mais, evitando os fatores de risco.”

Veja abaixo 9 dicas para reduzir as chances de ter diabetes:

Pratique atividade física.

Um dos maiores fatores de risco para a diabetes tipo 2 é o acúmulo da gordura na região abdominal, no fígado e entre os intestinos. Faça exercícios diariamente e evite alimentos gordurosos.

Durma bem.

Quando você dorme mal, seu relógio biológico afeta o seu metabolismo. Isso pode resultar em um aumento de 4 quilos por ano. Assim, há risco do aumento de glicose e resistência à insulina no corpo.

Beba chá ou café descafeinado.

Os antioxidantes presentes no chá e no café podem reduzir o risco do diabetes. Prefira o café descafeinado, pois a cafeína não é recomendada para quem tem tendência a doenças cardiovasculares.

Não faça jejum e coma devagar.

A incidência da doença é maior em pessoas que se alimentam muito rápido em comparação com quem come mais devagar. Além do risco de diabetes, intercalar períodos de jejum e de grande quantidade de comida pode causar perda de massa muscular.

Cuidado com o estresse!

Problemas emocionais podem levar ao sedentarismo e a um maior consumo de alimentos calóricos. Além disso, perturbações geradas no sistema imunológico alteram a produção de hormônios, facilitando a ocorrência de diabetes.

Prefira alimentos integrais.

Priorize arroz e pão integrais ao invés dos que levam farinha de trigo normal. Assim, você reduz a chance de aumentar rapidamente a taxa de glicose no sangue. Batatas, frutas em calda e açúcar branco também têm alta carga glicêmica. Evite-os!

Inclua amêndoas na sua alimentação.

Amêndoas são fortes aliadas contra a diabetes tipo 2. Elas aumentam a sensibilidade à insulina e tendem a reduzir o nível de açúcar no sangue.

Coma frutas com moderação.

Em uma alimentação saudável, deve-se comer frutas diariamente. Mas, algumas têm bastante carboidrato e açúcar. Uvas e caqui devem ser consumidos com moderação.

Faça exames regularmente e mantenha a saúde em dia.

Cuide da sua saúde, buscando não descuidar dos seus exames de rotina. Fique atento!

Fonte: Saúde Naval

Postado por 

Comentários fechado.

Publicações


Outros Links

Regionais


Secretaria da AVCFN

Telefones para contato:
(21) 99076-6701
(21) 99076-6585

Email:
gerente@avcfn.com.br

Fale conosco da AVCFN

faleconosco@avcfn.com.br

Pesquisar