Hoje, 23 de julho de 2017

Homenagem ao dia das Mães

 Dedico a mensagem e a Poesia do Veterano Manoel Vilaça, abaixo, a todas as Mães que fazem parte de nossa estimada Associação de Veteranos do Corpo de Fuzileiros Navais – AVCFN, a Associação Esportiva Saco e Maca – AESM (nosso popular Saco Mucho) e todas as Heroínas Mães do Mundo

Parabéns pelo grande dia, que as Benções do Bom Deus caiam sobre elas com a proteção da Virgem Maria!

Segue a mensagem:

   Certo dia, Thomas Edison chegou em casa com um bilhete para sua mãe.

Ele disse, “meu professor me deu este papel para entregar apenas a você .”

Os olhos da mãe lacrimejavam ao ler a carta e resolveu ler em voz alta para seu filho: “Seu filho é um gênio. Esta escola é muito pequena para ele e não tem suficiente professores ao seu nível para treiná-lo. Por favor, ensine-o você mesmo!!”

   Depois de muitos anos,Edison veio a se tornar um dos maiores inventores do século. Após o falecimento de sua mãe,resolveu arrumar a casa quando viu um papel dobrado no canto de uma gaveta.Ele pegou e abriu.Para sua surpresa era a antiga carta que seu professor havia mandado a sua mãe porém o conteúdo era outro que sua mãe leu anos atrás.

“Seu filho é confuso e tem problemas mentais.Não vamos deixá-lo vir mais à escola!!”

   Edison chorou durante horas e então escreveu em seu diário:”Thomas Edison era uma criança confusa mas graças a uma mãe heroína e dedicada, tornou-se o Gênio do Século.”

   Existem certos momentos da vida onde é necessário mudar o “conteúdo da carta” para que o objetivo seja alcançado.

Pensem nisso!!!

Para os que não tem mais Mãe aqui na terra, assim como eu, ficaremos na Eterna Saudade, mas, tristeza jamais! Elas também estão em festa no Céu, festa essa bem mais ilustrada que a nossa aqui, pois ela é organizada por Deus…!!!

 

Segue a Poesia do Veterano Fuzileiro Naval Manoel Vilaça:

I

Mamãe, minha mãezinha

Hoje é o teu santo dia

Dia este que comemoramos

Com a mais inigualável alegria.

És tu o maior presente

Que o nosso Criador nos deu

A ti deu Ele o dom da vida

O teu ventre nos concebeu.

Minha mãe, minha mãezinha

És tu a mãe da vida

E neste dia tão festivo

das homenagens, é a mais merecida.

-II

Quando abrimos a nossa mão

A marca do ‘‘eme’’ lá estar

Riscando a palma da nossa mão

Para sempre te lembrar.

É uma providência divina

trazer tua marca na mão

Para que jamais nos esqueçamos

Que é o ser mais sublime da criação.

De ti nasce o homem e a mulher

Segundo a lei por Deus Estabelecida

E do teu ventre sai nações

Que lá estar adormecida.

-III

Nesta noite tão feliz

De um dia que já se passou

Eu te comparo ó mamãe

Com o anjo do Senhor.

Pois preparas a mesa para mim

Teus cuidados não têm comparação

Se a noite demoro a chegar

Tu ficas cheia de preocupação.

Tu é para mim, ó mamãe

Como o anjo do Senhor

Que acampa ao nosso redor

Como uma muro protetor.

-IV

Ainda quando fores bem velhinha

E como criança venha te comportar

quando mais nada puderes fazer

E nem da tua identidade se lembrar.

Mesmo dando muito trabalho

Não há como te abandonar

Bem velhinha como estejas

Uma coisa porém me fazes lembrar.

Eu já fui assim como hoje estás

Minha mãe, minha mãezinha

E sempre cuidaste de mim

Quando eu era criancinha.

-V

Aquele que a sua santa mãezinha

Num asilo ou no mundo abandonou

E nunca mais foi procurá-la

Nunca soube o quanto ela o amou.

Mas há de chegar o tempo de lamentar

Este tão grande ato de ingratidão

Que um dia abandonou sua mãe

Que por ele despedaçou o coração.

Aquele que abandona sua mãe

A Palavra de Deus manda lhe avisar

Será apagada a sua lâmpada

e na mais densa treva caminhará.

-VI

No livro dos Provérbios

Se disponha a procurar

Capítulo vinte e versículo sete

Este aviso você vai encontrar.

Mas será repleto de bênçãos

Aquele que sua mãe zelar

Os seus dias na face da terra

O Senhor Deus garante prolongar.

São muitas as bênçãos de Deus

Que nas Santas Escrituras há

Para aquele que ama sua mãe

e dela sempre vive a cuidar.

-VII

Quem é igual a mamãe?

Pergunte a uma criancinha

Nada há igual no mundo, dirá ela

Só a minha mamãezinha.

Quem é igual a mamãe?

Pergunte a um envelhecido tambem

Lágrimas dos olhos lhe correrão e dirá:

Jamais tive outro tão grande bem.

Quem é igual a ti, ó mamãe

Ó sublime e meiga criatura

Quem será igual a ti

Se do amor és a imagem pura?

-VIII

Ó mamãe, minha mãezinha

Neste tão festivo dia

Recebe de nós esta homenagem

Que te exaltamos nesta poesia.

Bendito seja o teu ventre

Onde a vida ali é gerada

Bendita és tu, ó mamãe

Por Deus foste privilegiada

De uma mamãe igualzinha a ti

De um ventre igualzinho ao teu

De Maria de Nazaré

Nosso Senhor Jesus nasceu.

<<<>>>

Click AQUI  e veja a Emocionante Saga do Veterano Manoel Vilaça, quando deu baixa do Glorioso Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil e foi aventurar a vida na Grande São Paulo!

Parabéns também para esse Guerreiro que soube administrar os perigosos obstáculos que cruzaram sua trajetória na grande metrópole.

ADSUMUS!

Por Lucio Lucena

Comentários fechado.

Publicações


Outros Links

Regionais


Secretaria da AVCFN

Telefones para contato:
(21) 2233-3162
(21) 2126-5107
(21) 2253-1170
(21) 99076-6701
(21) 99076-6585

Email:
gerente@avcfn.com.br

Fale conosco da AVCFN

faleconosco@avcfn.com.br

Pesquisar